Imprensa da UEPB visita o PEPAD.

Tabagismo-NEAS-40Garantir uma melhor qualidade de vida, promoção da saúde e um ambiente mais saudável. Essas são algumas das metas traçadas pelo Programa de Educação e Prevenção ao uso de Álcool, Tabaco e outras Drogas, implantado pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). Surgido em 2012 e institucionalizado no ano passado como intervenção social da Universidade em um dos problemas que mais afeta a sociedade, o programa tem se enquadrado na proposta do Núcleo de Educação e Atenção e Saúde (NEAS).

Coordenada pela professora do Departamento de Farmácia, Clésia Pachú, a iniciativa conta com alunos de Farmácia, Serviço Social, Enfermagem, Odontologia, Fisioterapia e Direito. Os estudantes trabalham diretamente com metodologias ativas, procurando perceber e resolver os problemas que acometem os usuários de drogas lícitas e ilícitas, principalmente os fumantes e os viciados em álcool. No total, o programa desenvolve 12 ações voltadas para uma melhor qualidade de vida livre das drogas. As informações são repassadas através de palestras, oficinas e exposições.

Tabagismo-NEAS-22Atualmente, 38 estudantes extensionistas da UEPB estão envolvidos no programa. Eles atuam 12 horas semanais, prestando serviços à comunidade. Conforme explicou a professora Clésia Pachú, cada estudante reserva quatro horas da semana para se preparar teoricamente e, posteriormente, após leituras sobre o tema a ser explorado, eles partem para o trabalho de campo, desenvolvendo as ações de combate aos vícios.

As intervenções são realizadas em vários ambientes de Campina Grande, como o Centro de Atenção Psicossocial (CAPs), a comunidade acadêmica da UEPB, o Centro de Saúde Francisco Pinto, o Hospital Universitário Alcides Carneiro (HUAC), em algumas escolas públicas, entre outros espaços onde existem fumantes e dependentes químicos. A atuação do NEAS se desenvolve por meio de atividades acadêmicas, no tocante às políticas públicas vigentes no país, em especial a Política de Saúde do Trabalhador, e sobre Drogas. Neste contexto, busca-se a prevenção de morbimortalidades, promoção de ambientes saudáveis e reinserção social.

 

Combate ao tabagismo na UEPB

 

Tabagismo-NEAS-38Sentadas em cadeiras formando um círculo, no prédio da Administração Central no Câmpus de Bodocongó, prestadoras de serviço da UEPB escutam atentamente a palestra proferida por alguns estudantes do NEAS. As informações, transmitidas em forma de slides têm como alvo o grupo de fumantes que há anos tenta se libertar do vício. Trata-se de mais uma ação de combate ao tabagismo dentro da Instituição. O mesmo trabalho é realizado com os feras, visando a promoção de uma ambiente saudável.

O trabalho realizado há vários meses já começa a surtir efeitos práticos. Durante a exposição, uma servidora revelou que passou 40 anos de sua vida fumando e há quatro meses, quando entrou no programa, abandonou o cigarro. A luta dela agora é para não ter uma recaída. A professora Clésia Pachú explica que o trabalho é permanente e, mesmo com a greve dos professores da UEPB, não foi interrompido para não comprometer o tratamento.

A experiência tem enriquecido vários estudantes que estão prestes a ingressar no mercado de trabalho. Eles realizam oficinas voltadas para prevenção, atenção e o cuidado da saúde. Isso porque dados mostram que um dos maiores gastos da saúde pública é com doenças relacionadas ao fumo, que também é responsável por elevado número de óbitos.

Tabagismo-NEAS-31“Sempre procuramos dialogar com o que eles trazem. Nunca levamos nada pronto, mas apenas uma proposta para ser adaptada com o que eles dispõem”, explicou Lucas Brasileiro, estudante de Direito que atua no projeto “Ambiente 100% livre de fumo”. Durante a ação, realizada sempre no início de cada semestre, os estudantes de várias áreas do conhecimento saem nas salas do Câmpus de Bodocongó fazendo um trabalho de conscientização sobre a legislação. O grupo também realiza palestras dando ênfase a importância dos usuários se livrarem do “tabaco”. Além da legislação, eles procuram fazer cumprir uma Resolução da Reitoria, que prevê os ambientes livres de fumo na Instituição.

A tecnologia também é usada para promover a disseminação da informação e ajudar os usuários a se livrarem dos vícios. Ana Fialho, do curso de Enfermagem, é responsável pela veiculação das informações através da internet. Ela administra o site do programa, procurando atualizar as intervenções do projeto, além de publicar matérias sobre os efeitos e os males das drogas lícitas e ilícitas.

Atuando com outra problemática, a estudante Laise Silva, do curso de Enfermagem, desenvolve o trabalho no Hospital Universitário Alcides Carneiro. A atenção farmacêutica no HUAC é feita em parceria com a faculdade Maurício de Nassau e outras instituições. Eles procuram contribuir para o sucesso do tratamento feito pela unidade hospitalar com os tabagistas a partir da conscientização através de palestras. O grupo realiza atendimento durante três meses com os pacientes, utilizando as informações e os medicamentos fornecidos pelo hospital. A aceitação, segundo os estudantes, tem sido satisfatória.

Texto: Severino Lopes
Fotos: J. Cesar

 

Fonte: Portal da UEPB.

Link da matéria: http://www.uepb.edu.br/programa-de-saude-da-universidade-estadual-da-paraiba-atua-no-combate-aos-vicios-para-promover-qualidade-de-vida/

(83) 3315-3300